Loja Virtual IBRACON

LIVROS TéCNICOS

ISBN / ISSN: 978-85-98576-21-3

CONCRETO: MICROESTRUTURA, PROPRIEDADES E MATERIAIS
2ª edição



R$ 350,00 ou R$ 300,00 (somente para associados)

| Indique este produto

Fretes e Entrega

Ficha Técnica

ISBN / ISSN: 978-85-98576-21-3
Edição: 2ª edição
Páginas: 782
Formato: 18,6x23,3cm
Acabamento: Capa dura
Ano de Publicação: 2014
Autor: P. Kumar Mehta e Paulo J. M. Monteiro ; Editora: Nicole Pagan Hasparyk
Peso: 3 Kg


Descritivo

SUMÁRIO

Capítulo 1. Introdução

1.1 o Concreto como Material Estrutural
1.2 Componentes do Concreto Moderno
1.3 Tipos de Concreto
1.4 Propriedades do Concreto Endurecido e sua Importância
1.5 Unidades de Medida

Capítulo 2. Microestrutura do Concreto

2.1 Definição
2.2 Importância
2.3 Complexidades
2.4 Microestrutura da Fase Agregada
2.5 Microestrutura da Pasta de Cimento Hidratada
2.5.1 Sólidos na pasta de cimento hidratada
2.5.2 Vazios na pasta de cimento hidratada
2.5.3 Água na pasta de cimento hidratada
2.5.4 Relações microestrutura-propriedade na pasta de cimento hidratada
2.6 Zona de Transição no Concreto
2.6.1 Importância da zona de transição na interface
2.6.2 Microestrutura
2.6.3 Resistência
2.6.4 Influência da zona de transição nas propriedades do concreto

Capítulo 3. Resistência

3.1 Definição
3.2 Importância
3.3 Relação Resistência-Porosidade
3.4 Tipos de Ruptura no Concreto
3.5 Resistência o Compressoo e Fatores Intervenientes
3.5.1 Características e proporções dos materiais
3.5.2 Condições de cura
3.5.3 Parometros de ensaio
3.6 Comportamento do Concreto sob Diferentes Estados de Tensão
3.6.1 Comportamento do concreto sob compressoo uniaxial
3.6.2 Comportamento do concreto sob tração uniaxial
3.6.3 Relação entre a resistência o compressão e a tração
3.6.4 Resistência o tração do concreto massa
3.6.5 Comportamento do concreto sob tensoo de cisalhamento
3.6.6 Comportamento do concreto submetido a tensões biaxiais e multiaxiais

Capítulo 4. Estabilidade Dimensional

4.1 Tipos de Deformações e sua Importância
4.2 Comportamento Elástico
4.2.1 Não-linearidade da relação tensão-deformação
4.2.2 Tipos de módulos de elasticidade
4.2.3 Determinação do módulo de elasticidade estático
4.2.4 Coeficiente de Poisson
4.2.5 Fatores que afetam o módulo de elasticidade
4.3 Retração por Secagem e Fluência
4.3 1 Causas
4.3.2 Efeito das condições de carregamento e de umidade na retração por
secagem e no comportamento viscoelástico
4.3.3 Reversibilidade
4.3.4 Fatores que afetam a retraçoão por secagem e a fluência
4.4 Retração Térmica
4.4.1 Fatores que afetam as tensões térmicas
4.5 Propriedades Térmicas do Concreto
4.6 Extensibilidade e Fissuração

Capítulo 5. Durabilidade

5.1 Definição
5.2 Importância
5.3 observações Gerais
5.4 A água como Agente de Deterioração
5.4.1 A estrutura da água
5.5 Permeabilidade
5.5.1 Permeabilidade da pasta de cimento endurecida
5.5.2 Permeabilidade do agregado
5.5.3 Permeabilidade do concreto
5.6 Classificação das Causas da Deterioração do Concreto
5.7 Desgaste Superficial
5.8 Cristalização de Sais nos Poros
5.9 Ação do Congelamento
5.9.1 Ação do congelamento na pasta de cimento endurecida
5.9.2 Ação do congelamento no agregado
5.9.3 Fatores que controlam a resistência do concreto ao congelamento
5.9.4 Congelamento e descamamento por sal
5.10 Efeito do Fogo
5.10.1 Efeito da alta temperatura na pasta de cimento hidratada
5.10.2 Efeito da alta temperatura no agregado
5.10.3 Efeito da alta temperatura no concreto
5.10.4 Comportamento do concreto de alta resistência exposto ao fogo
5.11 Deterioraçoo do Concreto por Reações Químicas
5.11.1 Hidrólise dos componentes da pasta de cimento
5.11.2 Reações de troca catiônica
5.12 Reações Envolvendo a Formação de Produtos Expansivos
5.13 Ataque por Sulfato
5.13.1 Reações químicas no ataque por sulfato
5.13.2 Formação de etringita tardia
5.13.3 Histórico de casos selecionados
5.13.4 Controle do ataque por sulfato
5.14 Reação álcali-Agregado
5.14.1 Cimentos e tipos de agregados que contribuem para a RAS
5.14.2 Mecanismos de expansoão
5.14.3 Histórico de casos selecionados
5.14.4 Controle da expanspansão
5.15 Hidratação de Mgo e Cao Cristalinos
5.16 Corrosoo do Aço de Armadura no Concreto
5.16.1 Mecanismos envolvidos na deterioração do concreto por corrosão da armadura
5.16.2 Histórico de casos selecionados
5.16.3 Controle da corrosoo
5.17 Desenvolvimento de um Modelo Holístico da Deterioração do Concreto
5.18 Concreto em Ambiente Marinho
5.18.1 Aspectos teóricos
5.18.2 Histórico de casos de concreto deteriorado
5.18.3 Lições dos históricos de casos

Parte II. Materiais para Concreto, Dosagem e Propriedades nas Primeiras Idades

Capítulo 6. Cimentos Hidráulicos

6.1 Cimentos Hidráulicos e Não-Hidráulicos
6.1.1 Química dos aglomerantes de gesso e cal
6.2 Cimento Portland
6.2.1 Processo de fabricação
6.2.2 Composição química
6.2.3 Determinação da composição de compostos através da análise química
6.2.4 Estruturas cristalinas e reatividade dos compostos
6.2.5 Finura
6.3 Hidratação do Cimento Portland
6.3.1 Importância
6.3.2 Mecanismo de hidratação
6.3.3 Hidratação dos aluminatos
6.3.4 Hidratação dos silicatos
6.3.5 Modelos para a estrutura do C-S-H
6.4 Calor de Hidratação
6.5 Aspectos Físicos do Processo de Pega e Endurecimento
6.6 Efeito das Características do Cimento na Resistência e no Calor de Hidratação
6.7 Tipos de Cimento Portland
6.8 Cimentos Hidráulicos Especiais
6.8.1 Classificação e nomenclatura
6.8.2 Cimentos Portland compostos
6.8.3 Cimentos expansivos
6.8.4 Cimentos de pega e endurecimento rápidos
6.8.5 Cimentos para poços de petróleo
6.8.6 Cimentos branco e coloridos
6.8.7 Cimento aluminoso
6.9 Tendências nas Especificações do Cimento

Capítulo 7. Agregados

7.1 Importância
7.2 Classificação e Terminologia
7.3 Agregados Minerais Naturais
7.3.1 Descrição das rochas
7.3.2 Descrição dos minerais
7.4 Agregado Leve
7.5 Agregado Pesado
7.6 Agregado de Escória de Alto-forno
7.7 Agregado de Cinza Volante
7.8 Agregados de Concreto Reciclado
7.9 Produção de Agregados
7.10 Características dos Agregados e sua Importância
7.10.1 Massa específica e massa unitária
7.10.2 Absorção e umidade superficial
7.10.3 Resistência o compressão, resistência o abrasão e módulo de elasticidade
7.10.4 Sanidade
7.10.5 Dimensão máxima e composição granulométrica
7.10.6 Forma e textura superficial
7.10.7 Substâncias deletérias

Capítulo 8. Aditivos e Adições

8.1 Importância
8.2 Nomenclatura, Especificações e Classificações
8.3 Aditivos Químicos Tensoativos
8.3.1 Nomenclatura e composição química
8.3.2 Mecanismo de ação
8.3.3 Aplicações
8.3.4 Superplastificantes
8.3.5 Aditivos redutores de retração (ARR)
8.4 Aditivos Modificadores de Pega
8.4.1 Nomenclatura e composição
8.4.2 Mecanismo de ação
8.4.3 Aplicações
8.5 Adições Minerais
8.5.1 Importância
8.5.2 Classificação
8.5.3 Materiais pozolonicos naturais
8.5.4 Materiais de subprodutos
8.5.5 Aplicações
8.6 Comentários Finais 346

Capítulo 9. Dosagem do Concreto

9.1 Importância e objetivos
9.2 Considerações Gerais
9.2.1 Custo
9.2.2 Trabalhabilidade
9.2.3 Resistência e durabilidade
9.2.4 Distribuição granulométrica ideal do agregado
9.3 Princípios Específicos
9.3.1 Trabalhabilidade
9.3.2 Resistência
9.3.3 Durabilidade
9.4 Procedimentos
9.5 Exemplos de Cálculo
9.6 Proporcionamento de Misturas de Concreto de Alta Resistência e de Alto Desempenho
Apéndice: Métodos de Determinação da Resistência o Compressão Média a partir da Resisténcia Especificada

Capítulo 10. o Concreto nas Primeiras Idades

10.1 Definições e Importância
10.2 Proporcionamento, Mistura e Transporte
10.3 Lançamento, Adensamento e Acabamento
10.4 Cura do Concreto e Desmoldagem
10.5 Trabalhabilidade
10.5.1 Definição e importância
10.5.2 Medida da trabalhabilidade
10.5.3 Fatores que afetam a trabalhabilidade e seu controle
10.6 Perda de Abatimento
10.6.1 Definições
10.6.2 Importância
10.6.3 Causas e controle
10.7 Segregação e Exsudação
10.7.1 Definições e importância
10.7.2 Medida
10.7.3 Causas e controle
10.8 Mudanças de Volume nas Primeiras Idades
10.8.1 Definições e importãncia
10.8.2 Causas e controle
10.9 Tempo de Pega
10.9.1 Definições e importância
10.9.2 Medida e controle
10.10 Temperatura do Concreto
10.10.1 Importância
10.10.2 Concretagem em clima frio
10.10.3 Concretagem em clima quente
10.11 Ensaios e Controle da Qualidade do Concreto
10.11.1 MÚtodos e sua importoncia
10.11.2 Ensaio de resistência acelerada
10.11.3 Ensaios em testemunhos
10.11.4 Gráficos de controle da qualidade
10.12 Fissuração nas Primeiras Idades do Concreto
10.13 Comentários Finais

Capítulo 11. Métodos Não Destrutivos

11.1 Métodos de Dureza Superficial
11.2 Técnicas de Resistência o Penetração
11.3 Ensaios de Arrancamento
11.4 Método da Maturidade
11.5 Avaliação da Qualidade do Concreto através de Ensaios de Absorção e Permeabilidade
11.6 Métodos de Propagação das ondas de Tensão
11.6.1 Conceitos teóricos da propagaçoo de ondas de tensoo nos sólidos
11.6.2 Métodos de velocidade de pulso ultrassônico
11.6.3 Métodos de impacto
11.6.4 Emissão acústica
11.7 Métodos Elétricos
11.7.1 Resistividade
11.8 Métodos Eletroquímicos
11.8.1 Introdução o eletroquímica do concreto armado
11.8.2 Potencial de corrosão
11.8.3 Resistência de polarização
11.8.4 Espectroscopia de impedãncia eletroquímica
11.9 Métodos Eletromagnéticos
11.9.1 Pacômetro
11.9.2 Radar de penetração no solo
11.9.3 Termografia infravermelha
11.10 Tomografia do Concreto Armado
11.10.1 Tomografia computadorizada por raios X
11.10.2 Redução de um mundo tridimensional em uma imagem bidimensional plana
11.10.3 Tomografia de impedoncia elétrica

Parte III. Avanços na Tecnologia do Concreto

Capítulo 12. Concretos Especiais

12.1 Concreto Estrutural Leve
12.1.1 Definição e especificações
12.1.2 Critérios de dosagem da mistura
12.1.3 Propriedades
12.1.4 Aplicações
12.2 Concreto de Alta Resistência
12.2.1 Uma breve história da sua evolução
12.2.2 Definição
12.2.3 Importância
12.2.4 Materiais
12.2.5 Dosagem do concreto de alta resistência
12.2.6 Microestrutura
12.2.7 Propriedades do concreto nos estados fresco e endurecido
12.2.8 Concreto de agregado leve e de alta resistência
12.3 Concreto Autoadensável
12.3.1 Definição e importância
12.3.2 Uma breve história da sua evolução
12.3.3 Materiais e dosagens
12.3.4 Propriedades do concreto autoadensável
12.3.5 Aplicações
12.4 Concreto de Alto Desempenho
12.4.1 Uma breve história da sua evolução
12.4.2 Definição e comentário do ACI sobre concreto de alto desempenho
12.4.3 Experiência de campo
12.4.4 Aplicações
12.4.5 Concreto de alto desempenho com alto teor de cinza volante
12.5 Concreto com Retraçoo Compensada
12.5.1 Definição e conceito
12.5.2 Importância
12.5.3 Materiais e dosagens
12.5.4 Propriedades
12.5.5 Aplicações
12.6 Concreto Reforçado com Fibras
12.6.1 Definição e importância
12.6.2 Mecanismo da tenacidade
12.6.3 Mecanismos de arrancamento de fibra
12.6.4 Materiais e dosagem
12.6.5 Propriedades
12.6.6 Desenvolvimento de compósitos de ultra-alto desempenho reforçados com fibras
12.6.7 Classificações de compósitos de cimento reforçados com fibras
12.6.8 Aplicações
12.7 Concreto Contendo Polímeros
12.7.1 Nomenclatura e importância
12.7.2 Concreto polimÚrico
12.7.3 Concreto modificado com látex
12.7.4 Concreto impregnado com polímero
12.8 Concreto Projetado
12.8.1 Definições e breve histórico
12.8.2 o Processo de projeção do concreto
12.8.3 Proporcionamento da dosagem
12.8.4 Propriedades
12.8.5 Aplicações de campo
12.9 Concreto Pesado para Blindagem de Radiação
12.9.1 Importância
12.9.2 Concreto como material de blindagem
12.9.3 Materiais e dosagens
12.9.4 Propriedades importantes
12.10 Concreto Drenante
12.10.1 Definição e especificação
12.10.2 Benefícios do concreto drenante
12.10.3 Proporcionamento da dosagem
12.10.4 Aplicações
12.10.5 Propriedades dos concretos drenantes
12.10.6 Desvantagens potenciais e desafios de concretos drenantes
12.11 Concreto Massa
12.11.1 Definição e importância
12.11.2 Considerações gerais
12.11.3 Materiais e dosagens
12.11.4 Aplicação dos princípios
12.12 Concreto Compactado com Rolo
12.12.1 Materiais e dosagens
12.12.2 Ensaios em laboratório
12.12.3 Propriedades
12.12.4 Prática de construção
12.12.5 Aplicações

Capítulo 13. Mecânica do Concreto

13.1 Comportamento Elástico
13.1.1 Limites de Hashin-Shtrikman (H-S)
13.2 Viscoelasticidade
13.2.1 Modelos reológicos básicos
13.2.2 Modelos reológicos generalizados
13.2.3 Modelos reológicos variáveis com o tempo
13.2.4 Princípio da superposição e representação integral
13.2.5 Expressões matemáticas para a fluência
13.3 Distribuiçoo da Temperatura no Concreto Massa
13.3.1 Análise de transferência de calor
13.3.2 Condição inicial
13.3.3 Condições de contorno
13.3.4 Formulação por elementos finitos
13.3.5 Exemplos de aplicação
13.3.6 Estudo de caso: a construção da Catedral de Nossa Senhora dos Anjos na Califórnia, EUA
13.4 Mecânica da Fratura
13.4.1 Mecânica da fratura elástica linear
13.4.2 Mecânica da fratura do concreto
13.4.3 Zona de evolução de fratura
13.4.4 Fratura em escala nanométrica
13.5 Poroelasticidade de Concreto Exposto a Baixas Temperaturas
13.5.1 Efeito da distribuiçoo dos tamanhos de poros na curva de saturação líquida abaixo do ponto de fusão
13.5.2 Poroelasticidade não-saturada para materiais em congelamento
13.5.3 Desenvolvimento da deformação durante o congelamento
13.5.4 Efeito dos vazios de ar incorporado
13.6 Mecânica do Concreto Afetado pela Reação -lcali-Agregado

Capítulo 14. o Concreto na Era do Aquecimento Global e da Sustentabilidade

14.1 As Forças que Moldam Nosso Mundo - Uma Visão Geral
14.2 Requisitos para o Concreto no Futuro Próximo
14.3 Impacto Ambiental da Indústria Mundial do Concreto
14.4 Aquecimento Global - Uma Introdução
14.5 Aumento da Durabilidade do Concreto
14.6 A Acelerada Produção de Cimento na Era das Rápidas Mudanças Climáticas
14.7 A Sustentabilidade da Indústria do Concreto - Uma Visão Holística
Referências


Instituto Brasileiro do Concreto - IBRACON
Av. Queiroz Filho nº 1700 - Torre "D" - salas 407 e 408 - Vila Hamburguesa - 05319-000 - São Paulo - SP
Tel. (5511) 3735-0202

Fretes e Entrega | Como Comprar

Desenvolvido por Arte Interativa
www.arteinterativa.com.br